segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Juiz de Fora já foi conhecida como a Manchester mineira devido ao seu potencial industrial. Nas últimas décadas, lamentavelmente, a cidade retrocedeu muito nesse quesito. A construção da Mercedes-Benz e da Almaviva foram pontos positivos e a história poderia ser melhor se não fosse a burocracia.

A M. Dias Branco, maior fabricantes de massas e biscoitos do Brasil, aprovou em 2014 a construção de um parque fabril na cidade. Entretanto, esse empreendimento de 350 milhões que poderia gerar 1000 empregos diretos e 2000 indiretos está em risco por impasses burocráticos do poder público.

A simples construção de um acesso entre a via pública e o terreno localizado na BR-040 pode fazer a M. Dias Branco desistir da cidade.

Precisamos pressionar Prefeito, Governador, Deputados e Vereadores para que isso não aconteça. Juiz de Fora tem por vocação a indústria e devemos aspirar novamente ao título de "Princesinha de Minas".

Igor Guedes

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Mercado de Massas e Biscoitos começou o ano agitado



A M. Dias Branco, a maior fabricantes de biscoitos e massas do nordeste adquiriu por 1 bilhão e 55 milhões a carioca Piraquê. Fico feliz que uma das últimas representantes genuinamente brasileira de biscoitos continue na mão de um conglomerado brasileiro.

Além disso, a gigante nordestina Dias Branco ainda pretende investir em minha cidade com uma fábrica, galpão e moinho que podem gerar 1000 empregos diretos. Aqui em Minas ela concorrerá diretamente com a Santa Amália que foi comprada pela Peruana Alicorp e com a Vilma Alimentos, empresa mineira e ainda independente de conglomerados.

Fonte: http://braziljournal.com/a-kraft-heinz-brasileira-nasceu-no-nordeste